REGULAÇÃO CONSENSUAL: A EXPERIÊNCIA DAS AGÊNCIAS REGULADORAS DE INFRAESTRUTURA COM TERMOS DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

Carlos Emmanuel Joppert Ragazzo, Guilherme de Jesus France, Mariana Tavares de Carvalho Vianna

Resumo


O processo sancionador no âmbito da regulação econômica vem sofrendo influxo de uma perspectiva mais instrumental, focada na eficiência e aberta às influências do consensualismo. Uma das consequências dessas transformações é a proliferação do instituto conhecido como Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) em entidades públicas responsáveis pela regulação de diversos aspectos da economia. O presente artigo pretende analisar o emprego de TACs por agências reguladoras na área de infraestrutura, com objetivo de compreender os obstáculos e potenciais caminhos de aprimoramento. Nesse sentido, a experiência do CADE representa um exemplo bem-sucedido do emprego de TCCs para combater práticas anticoncorrenciais, o qual poderá servir de benchmark para a evolução do uso daquele instrumento nas agências reguladoras.


Palavras-chave


Agências Reguladoras; Termos de Ajustamento de Conduta; CADE; Multas Administrativas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v3i1.153

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Carlos Emmanuel Joppert Ragazzo, Guilherme de Jesus France e Mariana Tavares de Carvalho Vianna

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia